Tag: objeções

5abr

As maiores desculpas esfarrapadas que existem!

Você já percebeu que a grande maioria das pessoas, sempre que não consegue realizar seus objetivos arruma uma desculpa? O pior, é que usam desculpas que não servem pra nada. Uma desculpa por não cumprir a meta, por não fazer o prometido, em momento algum ajudará na finalização do objetivo.

Ser pragmático é encontrar um meio, é resolver ao invés de dar uma desculpa. Ser pragmático é incomodar pessoas que estão acostumadas a empurrar a vida com a barriga. Quando você não faz o máximo para conseguir o que deseja, você não incomoda ninguém; leva uma vida mediana. Quem vive de maneira mediana é medíocre, e quem arruma desculpas para tudo está vivendo desta forma.

Desculpas esfarrapadas que as pessoas medíocres dão:
“Não tenho dinheiro” – Não conheço árvore que dá dinheiro e nunca vi cair do céu. Só conheço uma forma de ter dinheiro, trabalhando! Se o dinheiro está faltando, trabalhe mais. Se trabalhar mais não te dá o tanto que você quer, arrume outro trabalho, estude, aprenda, prepare-se, conheça mais pessoas que possam te dar oportunidades. Falar que não tem dinheiro não fará ninguém comover-se com suas lamentações.

“Não tenho sorte” – É engraçado como algumas pessoas, que não se dão bem, que não tem sucesso, colocam a culpa no acaso. Reclamar que não tem sorte é não admitir seus próprios erros. A primeira coisa a fazer quando se comete uma falha, é admitir. Ninguém consegue corrigir falhas se não assumir que falha. Pessoas que sempre reclamam que não tem sorte, na verdade são orgulhosas demais para assumir o que precisam corrigir.

“Não tenho experiência” – É claro que a maioria das pessoas prefere dar oportunidades para quem já tem experiência. É mais cômodo, o risco é menor e dá menos trabalho. Agora, dizer que não tem experiência é desculpa esfarrapada! Trabalho voluntário dá experiência. São tantas entidades que precisam de ajuda e tanta gente querendo uma mãozinha… Ofereça seu trabalho voluntário e em troca ganhará gratidão e experiência. Caso tenha dificuldades em conseguir trabalho voluntário em entidades, seja voluntário em fazer amizades.

“Não tenho tempo” – Todo mundo tem a mesma quantidade de tempo. O dia tem vinte e quatro horas para o pedinte de rua e para o presidente de uma multinacional. Escolher o que é mais importante é o primeiro passo para analisar se o tempo está sendo utilizado da maneira correta. Todo serviço que não te leva àquilo que você mais quer é um ladrão de tempo. Fazer as coisas como sempre fez sem se preocupar em melhorar os processos é desperdiçar tempo.

“Não gosto do meu chefe” – Seu chefe é você mesmo. Se você é subordinado à alguma pessoa e faz corpo-mole por não gostar dela, na verdade, você está prejudicando a si mesmo. Os colegas percebem, os clientes percebem e não demora, você será conhecido como uma pessoa amarga, molenga e desleixada. Não gostar do chefe ou de colegas de trabalho não é desculpa aceitável. Se brigou com alguém, faça as pazes. Se alguém te magoou, perdoe. Faça pelos clientes, faça por você. E se, por acaso, não conseguir, despeça seu chefe! Vai trabalhar em algo que te faça feliz. Se não gosta do trabalho que você faz, MUDE!

“Não gosto de onde moro” – Procure ver com outros olhos. Quando alguém não é feliz no que faz, costuma por a culpa na cidade onde mora. Tente encontrar coisas que não são especificas de sua área, talvez você encontre algumas coisas que vão te surpreender. Se não encontrar, MUDE!

Existem outras desculpas, se prestar atenção em pessoas medianas, terá uma lista enorme de desculpas esfarrapadas. Conviver somente com pessoas medianas vai te fazer aprender novas desculpas. Encontrar desculpas para tudo é escolher ser medíocre.

Leandro Branquinho – vendedor, publicitário, radialista e consultor de empresas
www.radiovendas.com

27mar

Retroceder, talvez. Render-se, jamais

Retroceder, talvez. Render-se jamais

     Quero começar este artigo e dar um “obrigado” especial a todos os compradores e clientes potenciais que algum dia me disseram “NÃO”.

     Também sou muito grato à todos que me disseram “Sim”. Mas acontece que somos o que somos graças as nossas adversidades e não as facilidades que nos foram oferecidas. Cada NÃO que recebi e cada recusa em projeto, venda, serviço e emprego foram doídos em princípio. Mas se fosse tudo SIM, SIM, SIM, seria muito sem graça. 
    
     Será que gosto de sofrer? Claro que não. Sou latino americano, brasileiro, mineiro, minha família veio da roça. Não desisto nunca!

     Com os NÃOs, aprendi a ter humildade. Com os NÃOs, aprendi que preciso aperfeiçoar. Aprendi que nem sempre um NÃO é NÃO. Aprendi que o NÃO definitivo não existe.

     A persistência é irmã gêmea da paciência. É importantíssimo ter persistência para ter sucesso. É imprescindível ter paciência para ser persistente. Mas cuidado com a prima chata da persistência, a insistência. Quem nunca perdeu a paciência com um operador de telemarketing insistente? Ninguém gosta de gente que insiste em te convencer daquilo que você não quer. Aprendi que insistir é fundamental, mas aprendi que insistir demais é ser chato.

     Pense bem, o que é ter sucesso? A melhor definição que encontrei é: “Sucesso é alcançar aquilo que você quer ser, fazer e ter”. Para ter sucesso você precisa persistir, afinal de contas, não é tão fácil conseguir tudo que queremos ser, fazer e ter. Muita gente desiste aos menores obstáculos. Só que muita gente também deixa de aproveitar oportunidades porque segue cegamente seus objetivos. Nós também precisamos ter jogo de cintura para nos adaptarmos ao meio em que vivemos. João Alberto Catalão, um autor português, uma vez falou: “Diante de um precipício, seguir em frente é dar um passo atrás”. Algumas pessoas são tão bitoladas em ter sucesso que não enchergam as adversidades e perigos. Em algumas situações a felicidade fica de lado.

     Pense bem, o que é ter felicidade? Muita gente confunde felicidade com sucesso. A melhor definição que encontrei é: “Felicidade é amar aquilo que você é, faz e tem”. Felicidade então é escolha. Você escolhe ser feliz, simplesmente amando tudo aquilo que te pertence.

     O sucesso pode ser casado com a felicidade. Eles podem andar juntos, mas tem gente que escolhe assassinar o sucesso só para ter felicidade. Pior ainda é quem escolhe matar a felicidade só para ter sucesso. É possível… Talvez você conheça alguém assim. Gente que abre mão da felicidade para ter sucesso. Mas espera lá; Felicidade não é simplesmente gostar do que você é, faz ou tem? Parece simples, mas quando o sucesso vem na frente da felicidade, fica complicado.

     A cada NÃO que você receber e a cada obstáculo que você encontrar, você pode seguir em frente e tentar esquecer. Ou você pode dar um passo atrás, agradecer pela oportunidade e pelo aprendizado e, desta forma, construir a sua felicidade junto com o seu sucesso.

(Este texto foi inspirado em uma edição do Rádio Vendas, uma coluna que vai ao ar de segunda à sexta pela Rádio Educativa 105,9FM de Três Corações-MG. Pode ser conferida também em: http://leandrobranquinho.podomatic.com )

Leandro Branquinho – publicitário, vendedor, instrutor de vendas e feliz com tudo que é, faz e tem

© Leandro Branquinho 2017, All Rights Reserved