Tag: empreendedorismo

12jul

Soc, Pow, $$$! – Batman n°1

Sou fã de histórias em quadrinhos e super-heróis!
Acredito que quando temos momentos de lazer descansamos a mente.

No dia 28-06-12 foi ao ar pelas Rádios:  Educativa, Cidade e Unifei (Três Corações, Campos Gerais e Itajubá-MG), minha coluna sobre um texto altamente inspirador que li no gibi do Batman n°1 (junho-2012) da Panini.
Clique no play para ouvir:

Fiz uma colagem com os quadros dos pensamentos do Bruce Wayne.

Vai me dizer que gibi é coisa só para crianças?

12jul

Livro: Encantador de Clientes

Antes de falar do livro, deixa eu te contar uma história:

Certa vez, participei de um evento em Curitiba e tive a grata surpresa de encontrar um amigo que conheci pelo Twitter e Facebook. Surpresa maior, foi que ele levou três livros para me presentear. E um deles, é “O encantador de clientes”

O meu xára (sim, ele também chama Leandro)  é corretor de imóveis do Rio Grande do Sul.

Leandro Bittencourt e Leandro Branquinho

“O Encantador de clientes”

Eloi Zanetti escreve um livro de negócios delicioso. Parte da premissa que as pessoas gostam de ouvir histórias. Com muita criatividade, ele dá ensinamentos de administração, marketing e vendas que qualquer pessoa consegue entender.

As histórias do livro são simples, as lições não são complexas, tem muitos desenhos, ou seja, um livro de negócios bem fácil de ser lido (Sentei pra ler e quando percebi já tinha terminado).

São seis historinhas:
1-O encantador de clientes – Uma historinha que enfatiza a importância de cuidar dos detalhes no varejo e como uma empresa pode ter benefícios pelo simples fato de identificar os tipos de clientes que possui.

2-O gato Descartes achou o fio da meada – Ao invés de CEO (Chief Executive Officer), nesta fábula nós temos o GEO “Gato Executivo Onipresente”. O gatinho Descartes ensina como sair de situações embaraçosas. Resolvendo problemas de maneira cartesiana, ou seja dividindo um problemão em vários probleminhas.

3-O general que sabia ganhar batalhas – Alexandre o “Grande” conseguiu muitas vitórias porque usou de estratégia. De maneira bem simples, o autor conta algumas das estratégias do general, como por exemplo, conhecer a concorrência, conhecer o mercado que seria prospectado, conhecer a cultura…

Alexandre Magno no livro do Eloi

4-O dono do negócio – Empreendedor não é só aquele que cria uma empresa. Existem também os Intra-empreendedores. Os funcionários que se dedicam como se fossem donos do negócio. E claro, prosperam.

5-O mago Pareto – Pareto era um economista italiano que concluiu que 80% da riqueza da Itália estava nas mãos de 20% da população. Definiu-se então a Lei de Pareto, ou 80-20, que é aplicada nas mais diversas situações. 80% do faturamento de uma empresa é por causa de 20% dos clientes que ela tem. Ou ainda, 20% da força de vendas é responsável por 80% do dinheiro que entra. Só que no livro, o protagonista é um mágico.

6-Dona Dificuldade vai à luta – Um bate-papo entre um proprietário de uma empresa em crise e a Dona Dificuldade. Esta foi a única história que eu não gostei. Fala sobre motivação e que não devemos empurrar os problemas com a barriga, mas com um argumento que não convence tão bem como os das histórias anteriores.

Antes que eu me esqueça, o que me inspirou a começar esta série de posts sobre livros de negócios, foi uma frase na apresentação do livro.

“Assim são as histórias: você vai catando-as
pelo caminho e tem a obrigação
de reparti-las com todos.”

Eloi Zanetti é consultor e palestrante

Fundador da Casa do Contador de Historias

Foi diretor de comunicação do Bamerindus

Foi diretor de marketing de O Boticário

 

Conte pro autor que você viu o livro dele aqui

http://www.twitter.com/eloizanetti

http://www.facebook.com/eloi.zanetti

http://br.linkedin.com/pub/eloi-zanetti/21/1a0/6aa

 

Veja a avaliação deste livro por outras pessoas no Skoob:
http://www.skoob.com.br/livro/15376-o-encantador-de-clientes-e-outras-histor
 

29maio

Empreendedorismo, Negócios, Marketing e Cinema.

Um site inova ao usar o cinema como forma de difundir novas ideias
mercadológicas e regatar o espírito empreendedor dos leitores.

Espalhar ideias empreendedoras e criativas por meio de análises de filmes e
embasadas em conceitos corporativos contemporâneos.

Este é o principal objetivo do CINEBusiness, um site que procurar aliar negócios,
cultura e empreendedorismo em artigos escritos (ou falados) por profissionais de
várias áreas de atuação.

No ar desde 2010, o CINEBusiness passa atualmente por sua maior reformulação.
Com nova logomarca, layout moderno, imagens maiores e mais atraentes e com
gestão profissional, o site mostra que pretende, de fato, conquistar seu espaço no
universo digital e ampliar sua base de leitores.

O projeto surgiu no final de 2009 quando Enrico Cardoso, profissional de
marketing natural de Volta Redonda, pensou em transmitir às pessoas que
empreendedorismo não é um dom, mas sim uma questão de iniciativa aliada a
técnicas empreendedoras que poderiam ser ensinadas, aprendidas e difundidas.

Enrico sempre acreditou que a cultura era o melhor canal para crescimento
pessoal: “temos que focar na cultura como ponto de aprendizado”, afirma o jovem
empreendedor. Pensando nisto, deduziu que a melhor maneira de espalhar suas
ideias era por meio de um blog que usasse o cinema como meio de divulgação e
ensinamento. “O cinema é um canal para que possamos ampliar a bagagem cultural
das pessoas e, com isso mudar suas ideias”, acredita.

Foi com este foco que, em janeiro de 2010, ele se juntou com Alexandre Viveiros,
Marcus Vinicius Paiva e Wendell Carvalho e fundaram o CINEBusiness, cujo
primeiro artigo foi uma análise sobre a ganância corporativa tendo como referência
cinematográfica o megassucesso Avatar.

A iniciativa prosperou e o CINEBusiness cresceu.

Inicialmente com apenas quatro colaboradores, hoje o site conta com 15
profissionais das mais diversas formações e experiências. Todos têm o
compromisso de postar um artigo por mês e contam com liberdade para escolher o
tema a ser abordado e, claro, o filme em questão. Porém, agora, eles devem seguir
o Manual do Autor, um conjunto de padrões e regras que aborda desde a forma e
limite dos textos até questões de autoria e pontualidade na entrega dos artigos.

O CINEBusiness está em busca de novos leitores. Para isto, está orientando suas
luzes para o público jovem, normalmente universitários, que adoram cinema, são
ávidos consumidores de filmes, “heavy users” em internet e antenados com as
novas tecnologias.

Desta forma, os administradores do CINEBusiness se preocuparam com a posição
do site na busca orgânica do Google. Técnicas de SEO foram implementadas
e os artigos têm estrutura aprovada pelo W3C para melhor performance nos
navegadores.

Além disso, o CINEBusiness da agora, início a uma versão mobile do site.

Todas estas preocupações apontam para uma maturidade do site e também de seus
gestores.

Seu fundador, Enrico Cardoso, aplica na prática tudo aquilo que prega em
suas palestras e cursos de gestão de marcas, branding e marketing: ideias e
atitude. “Olhando o primeiro site, que ainda está no ar, é possível ver que demos um
salto gigantesco em qualidade”, orgulha-se.

E não é para menos. O CINEBusiness mostra que está no caminho certo!

© Leandro Branquinho 2017, All Rights Reserved