Tag: atitude

27mar

10 maneiras de economizar e afundar seu negócio

É comum encontrarmos alguns empresários e profissionais que economizam de maneira leviana. O pior é que acham que estão com uma vantagem enorme. Afinal de contas estão “economizando”. A seguir você verá uma lista com 10 economias que ao invés de melhorar, estragam qualquer negócio.

1 – Economizar com matéria prima – Para diminuir os custos, alguns empresários optam por insumos ou materiais mais baratos. Se o posicionamento da empresa é ter qualidade e atender clientes exigentes, este tipo de economia pode sepultar o produto.

2 – Economizar trabalho de pesquisa – É muito conveniente comprar dos fornecedores em que a empresa já tem um relacionamento. Mas a falta de pesquisa de novas soluções e de novos fornecedores deixa o comprador míope. Ele não verá as oportunidades que existem e que podem trazer melhorias, inclusive lucros maiores porque optou por conveniência.

3 – Economia em iluminação – Algumas empresas prestam atendimento ao público e economizam desligando a luz em alguns horários. O ambiente fica escuro, os clientes não entram, quando entram compram menos. Não precisa desperdiçar energia mas lugares escuros vendem menos.

4 – Economizar no processo seletivo – Ao invés de contratar um profissional de Recursos Humanos, ou os serviços de uma Psicóloga especializada em seleção, ou ainda uma empresa especializada, tem empresa que prefere contratar porque conhece o primo do cunhado da pessoa, ou porque é da família de um amigo. O motivo desta escolha é para ter gente “de confiança”. Mas uma empresa só terá sucesso quando demitir as pessoas “de confiança” e contratar pessoas competentes.

5 – Economizar com salários – O empresário quer contratar pessoas capacitadas, dispostas e motivadas mas quer pagar pouco. Como alguém pode ter uma equipe classe A se o salário é classe B? Pior ainda é quando ao invés de contratar pessoas para trabalhar no atendimento telefonônico, instalam uma máquina ou um computador com atendimentos do tipo Disque 1 para não ser atendido, Disque 2 para esperar só mais duas horas e meia, Disque 3 para repetir…

6 – Economizar com treinamento – Convenção anual ou treinamentos esporádicos são chamados de reciclagem. Preste atenção neste termo: Reciclar. O que exatamente você recicla? Lixo. Treinamento deve ser um processo contínuo e economizar com treinamento é o mesmo que tratar os funcionários como lixo.

7 – Economizar com conversas – Empresas que adotam a política de conversar pouco para não prejudicar a produção, na verdade estão tratando os funcionários como máquinas. As pessoas tem sentimentos, precisam se comunicar, inclusive, a falta de conversa entre elas gera mais conflitos, mais acidentes e insatisfação coletiva. A comunicação deve sempre ser estimulada, mas é claro que fofocas e tititis devem ser evitados.

8 – Economizar na propaganda – Escolher horários na rádio que custam mais barato, anunciar em jornalzinho que cobra baratinho, imprimir o panfleto em papel-jornal ou pior, não fazer propaganda nenhuma porque as vendas estão baixas. Mas se as vendas estão baixas, como alguém em sã consciência imagina que venderá mais cortando gastos com propaganda?

9 – Economizar com promoções – Fazer promoção não necessariamente é diminuir preço. Existem diversas formas de incentivar o aumento de vendas, mas alguns empresários acham que estes tipos de ações desvaloriza a marca. Em se tratando de produtos de luxo, isso pode até ser verdade, mas até mesmos grandes marcas estão fazendo promoções através de clubes privados na internet.

10 – Economizar tempo – Estratégia e planejamento devem ser pensados com cautela. A execução deve ser ágil, mas o planejamento precisa ser prudente e profissionais que não se reunem para planejar, na verdade estão focados somente na execução. A pior coisa que existe é um burro motivado. Ele não sabe que está fazendo errado e continua a fazer, pois tem muita motivação e dedicação, mas faz tudo da maneira que não trará resultados ou que afundará o negócio.

Leandro Branquinho – Vendedor, Publicitário, Radialista e Consultor de Empresas
http://www.twitter.com/radiovendas

27mar

O leão e o vendedor

O leão e o vendedor O leão é um animal que sempre aparece em historinhas e fábulas. Mas ao contrário da selva, onde reina absoluto, no mundo corporativo “leão” tem vários significados Podemos dividir em algumas categorias:

Matar um leão por dia – Eu lembro que quando era garoto, assistia com meu pai, Johnny Weissmuller lutar com um leão. Na pele (e sunga) de Tarzan, ele sofria e suava para derrotar o rei das selvas. Hoje quando escuto a expressão “matar um leão por dia”, não lembro do Tarzan, lembro do Denis. Era um vendedor que adorava matar um leão por dia. Voltava pra casa todos os dias, após ter visitado 87 clientes. De vez em quando, voltava com uma venda feita. Como ele usava a tática de visitar muitos clientes, era natural que alguém comprasse. No dia seguinte, era o mesmo sofrimento: visitar muitos clientes e trazer, com sorte, uma venda. Pra mim, matar um leão por dia é não ter boas estratégias, é trabalhar duro e não usar a cabeça, é usar o fôlego e os músculos para vender. Vale a pena? Só se você não tiver cérebro e for o namorado da Jane.

Vendedor Hakuna Matata – “É lindo dizer HaKuna matata, sim você vai entender Os seus problemas você deve esquecer, isso é viver…” A música é uma gracinha, o filme do Rei Leão, uma obra prima. Agora, achar que esquecer os problemas é viver…(?) Só se você estiver de férias na Disneylândia. O vendedor Hakuna Matata é aquele que não dá um retorno para o cliente quando acontece um problema. Afinal de contas, tudo passa…(sic) Problemas precisam ser enfrentados e clientes gostam de saber que alguém se importa.

Vendedor Leão da montanha –  Saída pela direita! Tem loja que, se o cliente chegar faltando dez minutos para fechar, os vendedores somem. O desenho animado da Hanna Barbera mostrava que, o leão da montanha, quando em dificuldades, sumia. Eu já vi, vendedor se esconder no estoque quando percebe que o cliente está entrando na loja com um produto para trocar. Mas também já vi a Regina, uma vendedora de calçados, atender com toda atenção do mundo uma cliente que queria trocar um calçado. A cliente trocou e levou uma bolsa para combinar. Resultado: cliente feliz e comissão maior.

Vendedor Leão Lobo – Este é o profissional que dá notícia de tudo e sempre entende de todos os assuntos. Sabe da vida dos clientes, celebridades, sabe dos detalhes amorosos dos colegas de trabalho, comenta com todos o que o cliente pediu para ser confidencial. Se o chefe comprou um carro novo, é o primeiro a reclamar um aumento de salário. Mas, diferente do apresentador da televisão, o vendedor Leão Lobo não dá ibope e não dura muito tempo.

Síndrome do Leão e o Rato – Na fábula de Êsopo, um ratinho faz um favor para o leão que estava amarrado. Já encontrei vendedores que tinham o potencial de uma leão, mas sempre reclamavam que as coisas estavam difíceis. Viviam esperando aparecer alguém para roer as suas amarras pessoais.

Pentear o leão – Esta é uma expressão que ouvi pela primeira vez em uma aula do meu MBA. O professor dizia que ao invez de matar o leão, temos que dar uma penteada no felino. Quer dizer que, com estratégia, se consegue realizar coisas realmente difíceis.

Leão do Madagascar – Alex é um leão diferente. Na animação da Dreamworks (na primeira e segunda versão) ele tinha que se remexer. Para ter sucesso, Alex aprendeu a dançar e rebolar. Lembra da música? “Eu me remexo muito! Eu me remexo… muito!” Vendedor de verdade tem que ser assim também, ter jogo de cintura para agradar o cliente e remexer muito para não tirar a lucrativadade da empresa.

Na selva em que vivemos, eu desejo sinceramente, que você escolha qual leão quer ser. Você pode matar um leão por dia, ter atitude de leão, ou esperar o leão morrer de velho e se esconder atrás de desculpas.

Para saber mais sobre leões, assista o Animal Planet, para ver uma apresentação inspirada neste texto acesse www.slideshare.net/radiovendas ou dê um follow em @radiovendas no Twitter.

Leandro Branquinho Vendedor, publicitário, instrutor de vendas e admirador da fauna corporativa

27mar

Deus dará?

“Se Deus quiser, tudo vai dar certo”; “Se Deus quiser, vou conseguir vender mais”; Se Deus quiser, as coisas vão melhorar”.

     Toda vez que escuto alguém dizer “se Deus quiser” eu fico preocupado. Imagino que aquela pessoa está ao “Deus dará”. Não fez nenhum planejamento, não tem nem ideia de seu potencial de execução e ainda coloca o “Todo Poderoso” para tomar as decisões.

     Você acredita que Deus, quando acorda pela manhã, decide quem vai levar a pior até o final do dia? Eu não acredito! Imagino que você também não acredite nisto. Então por que acreditar que Ele vai escolher alguém para se dar bem?

     O que significa “Deus dará”? No livro “A Casa da Mãe Joana” de Reinaldo Pimenta, encontrei a seguinte explicação: “no século 17, vivia em Recife, Pernambuco, um comerciante chamado Manuel Álvares, que ajudava os soldados que a Fazenda Real deixava de abastecer. Quando ele não dispunha das mercadorias necessárias, dizia sempre: Deus dará! De tanto repetir a frase, ficou conhecido como Manuel Álvares Deus Dará. E os soldados, quando precisavam recorrer a ele, diziam: Vamos ao Deus dará.”. Como Manuel Deus Dará vivia em estado de penúria, a expressão se tornou sinônimo de abandono, desamparo, ao esmo…

     “Se Deus quiser”, pra mim, tem a mesma conotação de “Deus dará”. Não sou especialista em teologia, nem conhecedor de religião. Mas nem por isso, deixo de ter minha fé e acreditar que o ser humano tem um potencial fantástico. A fé remove montanhas! A montanha pode ser um obstáculo para ver o que tem adiante; Montanha de serviço significa ter muito serviço; Montanha de coisas a fazer significa que a pessoa planejou mas está com dificuldades em executar. Planejamento sem execução não é nada. Planejamento sem execução é o mesmo que fazer uma oração e esperar que Deus faça o resto. Antes de remover a montanha peça autorização do IEF, do Ibama e arrume uma caçamba bem grande.

     A pop star adolescente Miley Cyrus (Hanna Montana) canta uma música em que a letra é um contra-ponto do que acabei de escrever. Em uma tradução livre: Não importa o tamanho da montanha, nem se chegarei lá em cima rapidamente, nem o que me espera do outro lado. O que importa é a escalada (The climb). Não deixa de ser uma possibilidade. Por que remover todas as montanhas? Podemos escalar. Desejamos o sucesso, desejamos que as coisas melhorem sempre. Mas se não melhorar, a escalada poderá ser um aprendizado, a escalada nos fortalecerá os músculos para montanhas maiores. Sempre haverá novas montanhas.

     Somente quando perceber que as coisas em sua vida, em sua empresa ou no seu casamento acontecem em função de suas escolhas e não por decisão da Providência Divina, você terá a sabedoria de distiguir o que pode e o que não pode te levar ao sucesso e a felicidade.

     Na próxima vez que ouvir um “Se Deus quiser”, lembre-se, Deus sempre quer, mas você precisa fazer sua parte.

     Escrever sobre negócios e tocar no tema religião não é fácil. Aliás, as coisas fáceis já não existem há um bom tempo. Mesmo assim, quero ter sempre o direito de expressar minha opinião. Se por acaso, ofendi você leitor, saiba que também aceito escutar ideias diferentes da minha. Veja como argumenta bem um escritor que, em uma rede social na internet, defende que o Senhor é responsável por tudo: “Deus tem controle completo de todas as coisas. Isso inclui o universo como um todo (Salmos 103:19), o mundo físico (Mateus 5:45), as transações das nações (Salmos 66:7), nascimento e destino humanos (Gálatas 1:15), sucessos e fracassos humanos (Lucas 1:52), e a proteção do seu povo (Salmos 4:8)”.

     Com todos estes pontos de vista eu te pergunto: Deus dará?

Para ser um seguidor de Leandro Branquinho clique em Follow no http://twitter.com/radiovendas , para excomungá-lo, mande e-mail para radiovendas@gmail.com

Leandro Branquinho – Vendedor, publicitário, instrutor de vendas e consultor de empresas

27mar

Retroceder, talvez. Render-se, jamais

Retroceder, talvez. Render-se jamais

     Quero começar este artigo e dar um “obrigado” especial a todos os compradores e clientes potenciais que algum dia me disseram “NÃO”.

     Também sou muito grato à todos que me disseram “Sim”. Mas acontece que somos o que somos graças as nossas adversidades e não as facilidades que nos foram oferecidas. Cada NÃO que recebi e cada recusa em projeto, venda, serviço e emprego foram doídos em princípio. Mas se fosse tudo SIM, SIM, SIM, seria muito sem graça. 
    
     Será que gosto de sofrer? Claro que não. Sou latino americano, brasileiro, mineiro, minha família veio da roça. Não desisto nunca!

     Com os NÃOs, aprendi a ter humildade. Com os NÃOs, aprendi que preciso aperfeiçoar. Aprendi que nem sempre um NÃO é NÃO. Aprendi que o NÃO definitivo não existe.

     A persistência é irmã gêmea da paciência. É importantíssimo ter persistência para ter sucesso. É imprescindível ter paciência para ser persistente. Mas cuidado com a prima chata da persistência, a insistência. Quem nunca perdeu a paciência com um operador de telemarketing insistente? Ninguém gosta de gente que insiste em te convencer daquilo que você não quer. Aprendi que insistir é fundamental, mas aprendi que insistir demais é ser chato.

     Pense bem, o que é ter sucesso? A melhor definição que encontrei é: “Sucesso é alcançar aquilo que você quer ser, fazer e ter”. Para ter sucesso você precisa persistir, afinal de contas, não é tão fácil conseguir tudo que queremos ser, fazer e ter. Muita gente desiste aos menores obstáculos. Só que muita gente também deixa de aproveitar oportunidades porque segue cegamente seus objetivos. Nós também precisamos ter jogo de cintura para nos adaptarmos ao meio em que vivemos. João Alberto Catalão, um autor português, uma vez falou: “Diante de um precipício, seguir em frente é dar um passo atrás”. Algumas pessoas são tão bitoladas em ter sucesso que não enchergam as adversidades e perigos. Em algumas situações a felicidade fica de lado.

     Pense bem, o que é ter felicidade? Muita gente confunde felicidade com sucesso. A melhor definição que encontrei é: “Felicidade é amar aquilo que você é, faz e tem”. Felicidade então é escolha. Você escolhe ser feliz, simplesmente amando tudo aquilo que te pertence.

     O sucesso pode ser casado com a felicidade. Eles podem andar juntos, mas tem gente que escolhe assassinar o sucesso só para ter felicidade. Pior ainda é quem escolhe matar a felicidade só para ter sucesso. É possível… Talvez você conheça alguém assim. Gente que abre mão da felicidade para ter sucesso. Mas espera lá; Felicidade não é simplesmente gostar do que você é, faz ou tem? Parece simples, mas quando o sucesso vem na frente da felicidade, fica complicado.

     A cada NÃO que você receber e a cada obstáculo que você encontrar, você pode seguir em frente e tentar esquecer. Ou você pode dar um passo atrás, agradecer pela oportunidade e pelo aprendizado e, desta forma, construir a sua felicidade junto com o seu sucesso.

(Este texto foi inspirado em uma edição do Rádio Vendas, uma coluna que vai ao ar de segunda à sexta pela Rádio Educativa 105,9FM de Três Corações-MG. Pode ser conferida também em: http://leandrobranquinho.podomatic.com )

Leandro Branquinho – publicitário, vendedor, instrutor de vendas e feliz com tudo que é, faz e tem

27mar

Vamos CriarAtividade?

Vamos CriarAtividade?

     “A prefeitura deveria dar mais apoio”; “Os vereadores não querem se posicionar, só ficam em cima do muro”; “Não recebo um aumento há um tempão”; “Minha família é complicada”… Você, certamente, já ouviu lamúrias como estas. Eu sempre ouço. O pior é que pessoas que reclamam, na maioria das vezes, não fazem nada para mudar as coisas. Votam nas mesmas pessoas, não acompanham o que os vereadores fazem, não fazem mais do que as obrigações do trabalho e ainda colocam Deus para trabalhar: “Se Deus quiser, as coisas vão melhorar”.

     Desde os primórdios, quando alguém faz alguma coisa realmente diferente, tudo ao redor modifica. A lâmpada elétrica, o celular, o Google, até mesmo o Açaí que todos preferem. A criatividade fez e continuará fazendo a diferença. Precisamos usar a nossa criatividade. Ela existe dentro de cada um de nós. Mas a medida que crescemos, somos podados. Você tem potencial criativo. Jamais diga que não é criativo, você pode não estar usando a sua criatividade. Mas pode escolher criar atividades que farão o seu potencial despertar. CriarAtividades Já!

     Reclamar que não tem apoio do governo, do chefe, dos colegas de trabalho, da familia, não te levará à lugar nenhum. Não estou tirando a responsabilidade que a prefeitura tem, nem dizendo que os vereadores não tem o seus papéis, muito menos que seu patrão não deva te dar um aumento. Eu penso que o apoio, o engajamento e o reconhecimento só aparecem quando alguém (pode ser você) toma alguma atitude, ou seja, começa CriarAtividade.

     Criatividade se desenvolve através de: repertórios, gestão inconsciente e estímulos a ação.

     Repertórios são todos os conteúdos dos arquivos de seu banco de dados mental. Para ser criativo é preciso ter muitos repertórios: ir ao cinema, ver tv, ler livros, jornais, revistas, gibis, acessar e vasculhar a internet, participar de festas, ouvir rádio, escutar música, fazer trabalho voluntario, participar de brincadeiras com crianças, com animais e consigo mesmo, namorar, praticar esportes, utilizar novas tecnologias, se alimentar e apreciar o sabor dos alimentos, sentir, escutar, sair da rotina…

     Gestão inconsciente (ou incubação) é o tempo que a sua mente precisa para processar os repertórios. Por isso, as melhores soluções de problemas aparecem quando você não está fazendo nada que tenha a ver com problema. Quem nunca teve aquela boa ideia na hora do banho, ou durante uma viagem em um ônibus silencioso. As sinapses (comunicação entre os neurônios) criativas não acontecem automaticamente, precisam de um período de incubação.

     Agora de nada adianta ter muitos repertórios, ter momentos de incubação das ideias se alguma ação não for estimulada. Exemplos de atitudes que ajudam a criatividade aflorar: escrever, desenhar, pintar, filmar, fotografar, digitar, publicar, bloggar, anotar, compartilhar, arquivar, ensinar… Criatividade é diferente de inovação. Mas se mudarmos a atitude para CriarAtividade, vira sinônimo.

     Ninguém, nem nada neste mundo pode fazer uma pessoa subir a escada do sucesso. O mundo é feito de escolhas. Ser criativo é escolher fazer alguma coisa de maneira diferente. Reclamar, resmungar, retrucar, xingar, todo mundo faz. Mas perceba que a eficácia dessas atitudes é muito baixa. Thomas Edison disse que criatividade é 1% de inspiração e 99% de transpiração. Vamos CriarAtividades já!

Veja também uma apresentação sobre criatividade baseada neste texto no slideshare.net Acompanhe no twitter

Leandro Branquinho é vendedor, publicitário, instrutor de vendas e está exercitando sua criatividade

© Leandro Branquinho 2017, All Rights Reserved